Programa une tecnologia e saúde para transcrever consultas médicas

27 de dezembro de 2019
Programa une tecnologia e saúde para transcrever consultas médicas

No começo de dezembro, a Amazon anunciou um serviço que promete mudar para melhor a rotina dos médicos. Unindo tecnologia e saúde, a empresa divulgou o Re:invent, um programa que é capaz de gravar consultas médicas e transcrever tudo o que foi falado – desde a queixa do paciente até o laudo e prescrições médicas.

Mais tempo para o médico e para o paciente

O motivo do Re:invent existir, segundo a Amazon, é poupar tempo do médico. Convencionalmente, o profissional precisa, além de atender o paciente, preencher, eletronicamente ou não, prontuários, receitas e outros dados que acabam levando tempo. 

A promessa é que, com o serviço, não exista tal preocupação, conferindo mais tempo para o médico ouvir o paciente, tornando a consulta mais precisa e atenciosa. 

Ricardo Pereira, Gerente de Inovação da Qualirede, entende o surgimento do sistema da Amazon como uma grande proposta que acompanha uma tendência mundial em saúde: a de registrar os eventos. Segundo ele, do preenchimento das fichas à mão para os prontuários eletrônicos, houve  um salto significativo – mas que, aos poucos, passou a representar desafios. “Colocou-se muita coisa para o médico fazer”, comenta. “O médico não quer perder tempo de consulta digitando no computador. Mas no prontuário eletrônico ele precisa colocar muitas informações sobre o paciente. Isso é uma queixa mundial”, analisa. 

Dessa forma, a tecnologia de gravação e transcrição, no fim do dia, faz muita diferença: “A grande dificuldade é a quantidade de teclas que o médico precisa digitar durante uma consulta. Então, essa tecnologia de gravação é muito bem-vinda, porque economiza tempo: é só falar e o prontuário é preenchido”

Tecnologia e saúde: a linguagem médica

Um dos diferenciais da tecnologia da Amazon é o reconhecimento da prosódia do paciente – isto é, nuances na fala que denotam sentimentos ou emoções. “A postura do paciente durante a consulta é extremamente importante para o médico”, relembra Ricardo. “Identificar esses detalhes era algo que até então não era possível”.

Mas, o maior trunfo da Amazon é a promessa de especialização em “linguagem médica”, isto é – a IA utilizada no programa é treinada para reconhecer, compreender e transcrever um arcabouço complexo de termos técnicos e de nomes específicos de remédios, doenças e diagnósticos que não estão no dia a dia popular. Essa é, de fato, a grande diferença entre o Re:invent e outros sistemas de captação de áudio já existentes, inclusive para uso pessoal, como o reconhecimento de voz da Google, do Android, o IOs e tantos outros. 

“A Qualirede está investindo em tecnologias similares”, comenta Ricardo, “porque sentimos falta de um suporte em português”. Isto é: ainda que a Amazon use como diferencial a identificação do jargão médico pela IA, isso só acontece em inglês. “Estamos buscando uma solução mais adequada e que também identifique a linguagem médica no português, que possa ser usado não apenas em consultas, mas também no processo de auditoria do cuidado e nas equipes de Atenção Integral à Saúde”, comenta referindo-se às visitas na beira do leito e o acompanhamento de doentes crônicos por meio da AIS.

Segurança

É válido recordar que toda tecnologia que colha informações dos pacientes devem sua garantir a segurança e sigilo. “A confiabilidade de qualquer sistema que armazene informações do paciente deve ser um feature do prontuário eletrônico”, comenta Ricardo. “A mesma segurança do prontuário é a da gravação de voz”, finaliza. Referindo-se à tecnologia da Amazon – “os processos de controle de acesso e autorização apenas de pessoas devidas, é o mesmo”.

É importante considerar que, às portas de 2020, aproxima-se a implementação definitiva da LGPD. A Lei Geral de Proteção de Dados leva diversas empresas, principalmente do ramo de tecnologia e saúde, a aprimorarem e ajustarem seus sistemas de captação de dados. É muito importante, então, assegurar de que, gravado ou não, as consultas e os dados dos pacientes estejam de fato muito bem protegidos. Nós já escrevemos um texto sobre as particularidades da LGPD na área da saúde. Se você quiser saber mais, é só clicar aqui!

Publicações recentes

    Deixe seu comentário