Outubro rosa: Mais que vestir uma cor, é a conscientização contra o câncer de mama

13 de outubro de 2020

Todo ano no mês de outubro a cor rosa vira destaque mundial. Só que mais do que vestir uma cor, o Outubro Rosa significa levantar a bandeira da conscientização contra o câncer de mama.

 

O objetivo da campanha do Outubro Rosa é compartilhar informações sobre a doença estimulando a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama, além de ensejar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento, contribuindo assim para a redução da mortalidade.

 

Quanto mais informada, mais cedo a mulher pode buscar os serviços de saúde, ter o diagnóstico confirmado e iniciar o tratamento precocemente, reduzindo assim a mortalidade.

 

Mas, afinal, você sabe o que é o câncer de mama?

O câncer de mama é causado pela multiplicação desordenada de células da mama, que gera células anormais que se multiplicam, formando um tumor. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a doença é a segunda mais comum entre as mulheres, atrás apenas do câncer de pele não melanoma. Apesar disso, quando diagnosticada precocemente, há alto índice de eficácia no tratamento e de cura da doença.

É importante ressaltar que apesar de raro em homens, o câncer de mama também acomete o sexo masculino, representando apenas 1% do total de casos da doença.

 

Tons de rosa

No mês de outubro, o lacinho rosa se tornou um símbolo da luta contra o câncer de mama, além disso, é comum que nessa época monumentos e locais históricos, instituições públicas e privadas fiquem iluminados em tons de rosa. A ideia é chamar a atenção das pessoas para a importância da luta contra o câncer de mama.

Mas é necessário compreender que a campanha mundial de conscientização contra a doença envolve a iniciativa de diversas ações conjuntas, como a promoção da saúde e a informação de qualidade, colaborando para a prevenção e ajudando a salvar vidas.

 

Outubro Rosa no Brasil

Você já parou para pensar quando foi que surgiu a primeira iniciativa da campanha do Outubro Rosa no Brasil? O primeiro movimento foi em 2002, quando o monumento Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo, foi iluminado de rosa.

Após seis anos, em 2008, a campanha do Outubro Rosa foi abraçada por outras cidades brasileiras, que também ficaram iluminadas, como o Rio de Janeiro, Porto Alegre, Brasília, Salvador, Teresina, entre outras.

Mas foi em 2010 que o INCA começou a participar do movimento, promovendo campanhas educativas para disseminar informações sobre fatores preventivos e detecção precoce do câncer de mama.

 

Quais são os fatores de risco?

Além da idade, há outros fatores de risco da doença. São eles:

Fatores ambientais e comportamentais: Obesidade e sobrepeso após a menopausa; Sedentarismo; Consumo excessivo de bebida alcoólica; Exposição frequente aos raios-x.

 

Fatores da história reprodutiva hormonal: Primeira menstruação antes dos 12 anos; Não ter tido filhos, nem amamentado; menopausa após os 55 anos; Uso de contraceptivos hormonais; Ter feito reposição hormonal pós-menopausa, principalmente se for por mais de 5 anos.

 

Fatores genéticos e hereditários: História familiar de câncer de ovário; Casos de câncer de mama na família, principalmente antes dos 50 anos; Alteração genética, especialmente nos genes BRCA1 e BRCA2.

 

Hábitos saudáveis que ajudam a prevenir a doença

Adotar hábitos saudáveis são ações que contribuem para diminuição do número de casos da doença. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que um terço dos casos de câncer de mama poderiam ser evitados com a prática de hábitos saudáveis. Confira:

  • Prática de atividade física
  • Alimentação saudável
  • Manutenção do peso corporal adequado
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas
  • Amamentação
  • Evitar uso de hormônios sintéticos, como anticoncepcionais e terapias de reposição hormonal

 

Diagnóstico precoce

Quando se trata de câncer de mama, prevenção é vida. A campanha reforça a importância dos exames preventivos para o diagnóstico precoce da doença, e a maneira mais comum de perceber os primeiros sinais da doença é realizando o autoexame.

Por isso, conheça seu próprio corpo, faça o autoexame no dia a dia e esteja atenta às variações naturais e alterações suspeitas da sua mama durante o toque.

 

Mamografia de rastreamento & mamografia diagnóstica

A mamografia é um exame de imagem capaz de identificar alterações suspeitas nas mamas. Existem os exames de mamografia de rastreamento e diagnóstico.

 

Mamografia de rastreamento: A mamografia de rastreamento é um exame de rotina, realizada quando ainda não há sinal ou sintomas. Segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), é recomendado que o exame seja realizado a partir dos 40 anos.

 

Mamografia diagnóstica: A mamografia diagnóstica busca investigar lesões suspeitas da mama e pode ser solicitada em qualquer idade, a critério médico.

 

Em caso de risco elevado da doença, por questões genéticas ou outros fatores, é necessário consultar um médico para avaliar a frequência adequada dos exames de mamografia.

 

Nós, da Qualirede, apoiamos a campanha de conscientização do Outubro Rosa. Faça parte desta corrente de prevenção e salve vidas!

Publicações recentes

    Deixe seu comentário