Ela é suporte de rede e ainda dedica um pouco do seu tempo e de sua coragem como voluntária do Corpo de Bombeiros, em Florianópolis. A Fernanda Souza mostra que não existem impedimentos quando a intenção é ajudar! Ela dedica o mínimo de 24h mensais, um plantão aos finais de semana, de 8h às 8h.

 

O começo

 

Para começar, preparo!  Fernanda fez curso na Cruz Vermelha, o curso de Bombeiro Comunitário e o estágio de 500 horas no Batalhão de Bombeiros.  Isso já faz 3 anos. “E de lá pra cá, são muitas lições de vida”, conta.

Voluntariado

 

Você precisa diferenciar sua profissão, sua paixão profissional por caridade. O trabalho voluntariado permite isso. Ele exige qualidades e habilidades diferentes do trabalho, e te completa de uma maneira diferente “Já recebi propostas para um plantão remunerado, porém isso foge do meu objetivo”.

“Ví que dentro de uma ambulância normalmente vão apenas dois profissionais. Com o reforço dos voluntários, duplica a força dos bombeiros. Em alguns casos, essa diferença significa uma ou mais vidas. A necessidade disso, me conquistou”. 

Um fato marcante

 

Para Fernanda, cada ação tem um significado diferente, uma lição de vida! Todos deixam uma marca, uma lembrança. Mas se for para falar de um, ela lembra de um episódio no Hospital Regional de São José:

“Fomos chamados com urgência, pois havia um vazamento grande de gás no hospital. A central foi desligada, as linhas de combate, mangueiras entre outros equipamentos, explica, foram preparados  e ficamos no setor Neonatal até a equipe de manutenção chegar. Se houvesse uma explosão, estávamos prontos para salvar os bebês. Nessa hora, o que vale é salvar o outro, ainda mais quando se trata de crianças, neste caso, bebês.

 

Todos deveriam saber

 

Fernanda destaca a importância dos conhecimentos em primeiros socorros. Diz que o conhecimento básico é decisivo e existem muitas situações corriqueiras que exigem o procedimento correto.

Todos nós estamos sujeitos a nos deparar com situações de risco, que exigem conhecimento e também controle emocional. Saber lidar com isso, ajudar a minimizar as consequências de um acidente, impedir que algo pior aconteça. É essencial!

 

 “Para ajudar, basta querer. Não importa como, sempre tem alguém ou alguma instituição que precisa de ajuda e essa pode vir de você!”

Fernanda Souza

“Vidas alheias, riquezas a salvar”

 

Qualirede