A geração atual de mulheres se desenvolveu profissionalmente e conquistou o mercado de trabalho, seus direitos de igualdade e a independência financeira, e com isso aumentou suas responsabilidades, 37,3% do sustento das famílias no Brasil são de responsabilidade das mulheres.

E como é ser mãe no meio de tudo isso?

Ser mãe nos tempos modernos implica em conciliar diversas funções simultâneas, entre vida pessoal, afetiva, profissional, trabalho doméstico e a criação dos filhos, e buscar constantemente o equilíbrio para conseguir realizar todas as tarefas de sua atribulada rotina.

Hoje a escolha pela maternidade implica em uma organização muito diferente de outros tempos, o que contribuí para que a experiência da maternidade seja mesmo um enorme desafio.  A mãe idealizada e perfeita não existe mais, por isso aquelas que escolhem ser mãe assumindo as responsabilidades da mulher moderna, devem entender seus limites e buscar prazer em todas as suas relações, inclusive com os filhos.

Dividir os papéis com seu companheiro é muito importante, mas para isso é preciso desmistificar o amor materno inato e tomar o pressuposto de que o amor paterno também é semeado, alimentado e aprendido no trato diário com os filhos, traz resultado positivo para a saúde física e emocional da criança.

Considerar ambos os amores conquistados, legítimos e de igual qualidade não equivale a dizer que não haja diferenças entre as funções maternas e paternas, pois elas têm suas especificidades. Hoje se sabe, por exemplo, que os homens influenciam as crianças de modo único, desempenham o papel de desafiá-las e instigá-las a desenvolver capacidades emocionais e cognitivas para enfrentar o mundo.   Porém, as mulheres precisam reaprender a dividir o espaço da criação de filhos com os pais se despojando da ideia de que só a mãe sabe cuidar dos filhos.  Desta forma, conseguirão buscar o equilíbrio para organizar as rotinas do dia, cuidar também do lado pessoal e emocional, da vida do casal, da otimização do tempo e serem mais felizes consigo mesmas.

É importante que o tempo disponibilizado aos filhos seja de qualidade.  Procure realmente estar  com as crianças quando se propor a isso , interagindo e se  aproximando emocionalmente dos pequenos,  como, brincar, conversar, ouvir , estudar, passear e construir juntos .

 

Enfermeira Soninha Silva – (COREN-SC 383.225) – Atenção Integral a Saúde – Qualirede

Qualirede