Siga-nos!

Nova pesquisa: Aumento de custos das internações hospitalares 

Categoria: Auditoria hospitalar; Gestão de pacientes

Por trás dos números: Insights da pesquisa da UNIDAS sobre o aumento de custos das internações hospitalares 

Contexto

O cenário da saúde suplementar no Brasil está passando por mudanças significativas, e os gestores de saúde têm um desafio cada vez maior em suas mãos: o custo crescente dos gastos em saúde.  

A recente pesquisa realizada pela UNIDAS – União Nacional das Instituições de Autogestão em Saúde demonstrou que o custo com internações segue sendo o principal ofensor de custos assistenciais na saúde suplementar e os valores médios gastos com internação aumentaram aproximadamente 57% em 3 anos (2019 – 2022). 

Vamos explorar os insights por trás desses números e descobrir oportunidades para uma gestão mais eficiente e sustentável: 

Amplie a visão do cenário apontado pela pesquisa da UNIDAS: 

— Em 2019, o custo médio de uma internação era de R$ 6.455. Esse valor saltou para R$ 10.153 em 2022, representando um aumento significativo de aproximadamente 57%. 

— As doenças do sistema circulatório lideram as causas de internações, respondendo por cerca de 10% do total. 

— Um ponto de alerta é o aumento dos custos com consultas, especialmente na região Sudeste, com um crescimento de 14%, e dos exames, com destaque para o Centro-Oeste, com um reajuste de 4,17%. 

Desafios emergentes para o sistema de saúde: 

— O envelhecimento da população é uma realidade inegável, refletindo-se em um aumento nos custos de internação, especialmente entre os idosos. 

— As medidas de distanciamento social, adotadas durante a pandemia, impactaram os padrões de atendimento, concentrando a demanda em casos mais complexos e aumentando a taxa de exames. 

— A sinistralidade nas autogestões atingiu níveis preocupantes, com 94% em 2022, indicando uma pressão financeira crescente sobre as operadoras de saúde. 

Perspectivas e oportunidades: 

Ao compreender as tendências emergentes e adotar estratégias inovadoras, é possível não apenas mitigar os impactos financeiros, mas também promover uma assistência mais eficaz e centrada no paciente.  

Este é o momento de agir, aproveitando as oportunidades para transformar a realidade da saúde suplementar e garantir um sistema sustentável e acessível para todos.   

Reflexões da Qualirede

Saiba mais sobre algumas iniciativas e reflexões trazidas pela Qualirede para enfrentar o desafio do aumento de custos nas internações hospitalares: 

Investimento em Atenção Primária à Saúde e prevenção: 

— Fortalecer os serviços de atenção primária para prevenir o agravamento de doenças crônicas, especialmente entre os idosos. 

— Estabelecer um vínculo entre o beneficiário e o sistema de saúde com uma porta de entrada resolutiva para os principais problemas de saúde pode evitar consultas, exames desnecessários e direcionar o paciente para o recurso que ele realmente necessita. 

— Implementar programas de promoção da saúde e prevenção de doenças, como campanhas de vacinação, rastreamento de doenças crônicas e educação em saúde. 

Ênfase no gerenciamento de pessoas com doenças crônicas

— Desenvolver programas de gerenciamento de doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, para reduzir a incidência de complicações que levam à hospitalização. 

— Oferecer suporte contínuo aos pacientes com condições crônicas, incluindo monitoramento remoto, consultas virtuais e educação para autogerenciamento. 

Uso de tecnologia para melhorar a eficiência: 

— Implementar sistemas de saúde digitalizados para facilitar o compartilhamento de informações entre profissionais de saúde, reduzir erros médicos e evitar exames duplicados. 

— Adotar telemedicina e consultas virtuais para oferecer atendimento médico acessível e conveniente, especialmente para pacientes idosos e aqueles em áreas remotas. 

Fortalecer a atenção domiciliar: 

— Promover o uso de internação domiciliar sempre que apropriado, oferecendo cuidados de qualidade no conforto do lar e economizando nos custos hospitalares. 

Negociação de parcerias e redução de custos operacionais: 

— Estabelecer parcerias e novos modelos de remuneração com fornecedores de serviços de saúde para obter descontos em consultas, exames e procedimentos, reduzindo os custos para as operadoras e para os beneficiários. 

— Implementar medidas de eficiência operacional, como a redução de desperdícios, otimização de recursos e negociação de contratos mais favoráveis com prestadores de serviços. 

Educação e engajamento do paciente: 

— Fomentar a educação em saúde e o engajamento dos pacientes na gestão de sua própria saúde, incentivando hábitos de vida saudáveis, adesão ao tratamento e busca por cuidados preventivos. 

— Engajar o paciente no controle de custos, conferindo guias antes da assinatura, extratos de utilização e orientando adequadamente sobre reembolsos. 

Busca pela transformação: Liderança e inovação na saúde suplementar 

À medida que acompanhamos o cenário complexo da saúde suplementar, enfrentamos desafios significativos e somos chamados a repensar nossas estratégias, a abraçar a tecnologia como uma aliada e a priorizar o cuidado preventivo.  

Enfrentando os desafios do presente, podemos moldar um futuro em que a saúde é mais acessível, mais sustentável e mais humana para todos.  

Inspirados pela visão de um amanhã melhor para todos, convidamos os gestores para essa jornada de transformação urgente e necessária. Conte com a Qualirede para juntos, construirmos uma solução. 

Recomendamos a leitura da matéria completa 

Artigo de opinião por Rogério Ferreira 

Head de regulação e responsável técnico médico da Qualirede 

Compartilhe esse post!

Fale com o nosso time comercial e personalize sua solução!

Se inscreva na Newsletter:

Biblioteca de conteúdos
Gratuitos:

Destaques do Blog:

A APS pode gerenciar urgência e emergência na saúde?

Junho vermelho – doação de sangue

Dia nacional da imunização

APS: Muito além da assistência básica

Clínica de APS – saiba como funciona o atendimento