Siga-nos!

Alta segura em saúde mental: um acolhimento eficaz e humanizado na continuidade do cuidado

Publicado em:
Categoria: Auditoria hospitalar; Gestão de pacientes; Gestão do beneficiário

O artigo escrito por nossas colaboradoras Priscila Tavares Medeiros e Gizelli Nader tem como tema a continuidade do cuidado através da alta segura em saúde mental. O artigo foi um dos apresentados pela Qualirede no Prêmio Unidas de 2022.

Objetivos

O presente estudo tem por objetivo apresentar a relevância e os resultados obtidos com a implantação do Projeto de Alta Segura em pacientes com patologias psiquiátricas, apresentando-se como como ferramenta para adequação de custos.

O caminho passa pela promoção do cuidado humanizado iniciado na beira do leito até o pós alta, estímulo e orientações voltados para a continuidade do cuidado, envolvendo tanto o paciente quanto sua rede de apoio.  

Métodos

Utilizou-se o método quantitativo descritivo longitudinal, sob pesquisa participativa.

Perspectiva: Plano de saúde na modalidade autogestão.
Amostragem intencional: 133 beneficiários submetidos a internação psiquiátrica que evoluíram com alta hospitalar, de abril de 2021 a fevereiro de 2022. Esses foram acompanhados, periodicamente, por profissionais de saúde, através de telemonitoramento, fornecendo orientações qualificadas e personalizadas, fomentando o autocuidado e seus desdobramentos.
Desfecho principal: Associação entre o monitoramento do cuidado à saúde mental e a otimização da utilização per capita dos serviços de saúde por esses pacientes, durante o período selecionado para análise entre três e seis meses antes do início do acompanhamento e o mesmo recorte após o término do projeto.
Variável Dependente: Utilização per capita após acompanhamento no projeto (consultas, exames e emergência) e tempo médio de permanência nas internações dos serviços psiquiátricos.
Variável Independente: Identificação dos transtornos mentais.
Análise Estatística: Frequências relativas e absolutas foram aplicadas para estimar a utilização per capita e o tempo médio de permanência nas internações dos serviços de saúde mental.

Resultados

Analisando as internações nas unidades de saúde mental, observou-se uma redução de 28% no tempo de médio de permanência no internamento integral para a população acompanhada, no período pós projeto, além de uma redução de 12% no internamento de Hospital Dia.

No que tange a relação de utilização per capita dos serviços de saúde antes e após acompanhamento, verificou-se uma redução de 18% em consultas, 9% em atendimentos de emergências e 38% em exames.

 

Conclusões

Considerando os resultados apresentados, conclui-se que a alta segura em saúde mental é uma estratégia eficaz, pois atinge seus objetivos de reduzir custos assistenciais, oportunizando uma assistência contínua e humanizada, podendo ser uma ação de sustentabilidade a ser adotada por planos de saúde.

Compartilhe esse post!

Fale com o nosso time comercial e personalize sua solução!

Se inscreva na Newsletter:

Biblioteca de conteúdos
Gratuitos:

Destaques do Blog:

A APS pode gerenciar urgência e emergência na saúde?

Junho vermelho – doação de sangue

Dia nacional da imunização

APS: Muito além da assistência básica

Clínica de APS – saiba como funciona o atendimento