ATUAÇÃO DO NÚCLEO DE SEGURANÇA DO PACIENTE NA ANÁLISE DE EVENTOS ADVERSOS

13 de março de 2020

Nossa equipe de especialistas produz constantemente artigos científicos que contribuem significativamente para o mercado de saúde, muitos deles, inclusive, foram premiados. Por isso, a partir desta semana iremos compartilhá-los com você, aqui em nosso blog. Para iniciar trazemos o trabalho: A atuação do núcleo de segurança do paciente na análise de eventos adversos. Entenda a importância do NSP da Qualirede nesse contexto:

 

A temática que envolve a segurança do paciente tem sido reconhecida mundialmente e constitui-se em um grande desafio para as organizações de saúde, uma vez que os riscos são inerentes ao processo de trabalho e observa-se grande incidência de danos ao paciente. Eventos adversos (EA) relacionados à assistência à saúde, infelizmente, são frequentes. Cerca de 10% dos pacientes internados sofrerão algum dano inesperado, segundo a literatura mundial. 

 

Neste contexto, aliada à proposta de segurança do paciente estabelecida por órgãos como a Organização Mundial da Saúde e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Qualirede criou o Núcleo Multidisciplinar de Segurança do Paciente (NSP). Esse núcleo tem como finalidade a promoção de uma cultura voltada à segurança do paciente, por meio de planejamento, desenvolvimento, controle e avaliação de processos assistenciais, para garantir a qualidade dos atendimentos de cada prestador credenciado.  

 

Atuação do Núcleo de Segurança do Paciente

 

Para observar o acompanhamento pelo Núcleo de Segurança do Paciente na análise de eventos adversos, a Qualirede realizou um estudo em que foram identificadas e examinadas as notificações de incidentes sinalizados pelos auditores do cuidado ao NSP, referentes a um plano de saúde privado no estado de Santa Catarina.

 

Trata-se de um estudo de caráter observacional, descritivo e qualitativo, com análise retrospectiva de dados relacionados às notificações feitas por intermédio de formulário específico, realizado em um aplicativo próprio, via tablet. O auditor, após avaliação do cuidado prestado, preenche o formulário com o incidente ocorrido com o paciente. Foram ocultadas quaisquer informações de identificação dos pacientes participantes. 

 

Análise de eventos adversos

 

No período entre janeiro a agosto de 2019, os auditores notificaram ao Núcleo de Segurança do Paciente 1.007 incidentes ocorridos com 382 pacientes (52,1% sexo feminino), com mediana de idade de 73 anos (3 – 97 anos). Os incidentes ocorreram entre 01/01/2019 e 30/07/2019. 

 

Das notificações realizadas, 78,8% apresentaram algum dano ao paciente:

 

  • 213 foram incidentes sem dano
  • 647 foram de dano leve
  • 119 casos classificados com dano moderado
  • 22 foram de dano severo
  • 6 eventos adversos tiveram como desfecho o óbito

 

Cerca de metade dos incidentes (46,9%) estão relacionados ao uso de dispositivos médicos como acessos periféricos, SNG e SNE, seguidos de erros na continuidade da assistência (10,3%), que abrangem falhas na identificação do paciente e falhas na comunicação entre os profissionais da instituição e/ou profissionais e paciente/familiar. 

Observou-se que 8,7% das notificações foram referentes a lesão por pressão, sendo por falha na mudança de decúbito (91,8%) ou associada a uso de dispositivo médico (8,2%). Quanto às Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (IRAS), foram 92 incidentes (8,3%) relatados ao Núcleo de Segurança do Paciente, como infecções de sítio cirúrgico, pneumonia e infecções de corrente sanguínea (sepse). Em menor proporção, foram identificados incidentes relacionados à cirurgia, terapia nutricional, uso de medicamentos, quedas e outros.

 

 

A importância do acompanhamento do NSP

 

Após a avaliação dos resultados, conclui-se que o trabalho feito pelo Núcleo de Segurança do Paciente é fundamental para monitorar e reduzir a incidência de eventos adversos relacionados ao cuidado em saúde, promovendo um cenário de maior segurança e qualidade na assistência e reduzindo assim os custos assistenciais.

 

Também evidencia-se a necessidade de continuidade, no processo educativo, para os profissionais, pacientes e acompanhantes. A análise dos dados recebidos pelo Núcleo de Segurança do Paciente possibilita a discussão sobre a situação de cada caso e o redirecionamento das metas de segurança.

Publicações recentes

    Deixe seu comentário